jump to navigation

Marte – o que é preciso é negociar… 12/02/2011

Posted by João Lopes in Colonização do Espaço, Exploração Espacial, Exploração Planetária, Fisiologia Humana no Espaço, Humanos no Espaço, Marte, Missões Espaciais.
add a comment

Crédito: 1.bp.blogspot.com

 

Dinheiro, dinheiro e dinheiro – um dos grandes entraves da Exploração Espacial.  Cientistas da NASA pensam agora na possibilidade de propor a grandes empresas para financiarem um projecto ambicioso – a colonização de Marte. Qualquer coisa como cerca de 160 mil milhões de dólares…

Já se pensou na Microsoft, Google, entre outras para esta jornada. Joel Levine, cientista do NASA Langley Research Center afirmou que ” a ideia contempla cada aspecto da ida para o Planeta Vermelho – desde a concepção do veículo espacial, questões médicas, bases Marcianas, colonização, até uma proposta de negócio revolucionária para ultrapassar os obstáculos que impedem os astronautas de irem até Marte”.

Fique a saber mais do que envolve este plano, lendo este artigo.

Anúncios

Buraco Lunar para futuros colonos? 02/01/2010

Posted by João Lopes in Água no Universo, Colonização do Espaço, Habitabilidade Planetária, Humanos no Espaço.
add a comment

Uma equipa internacional de astrónomos descobriu um buraco vertical no lado visível da Lua. É quase circular e tem 65 metros por 80-88 de profundidade. Foi sugerido que terá sido formado por um tubo de lava colapsado criado na altura em que a Lua teve vulcanismo activo.

Crédito: ISAS/JAXA/SELENE/Junichi Haruyama et al.

A ideia de bases permanentes na Lua veio a ganhar peso com a confirmação de água no nosso satélite natural. Dessa forma os cientistas afirmaram que “como os tubos de lava possibilitam abrigos do ambiente hostil da superfície lunar, poderão um dia vir a ser úteis para bases lunares”.



Pandora 28/12/2009

Posted by João Lopes in Colonização do Espaço, Habitabilidade Planetária, Planetas Extra-Solares, Recriações artísticas.
add a comment

Satélites Naturais capazes de albergar vida, como Pandora (Avatar) e Endor (Guerra das Estrelas) poderão ser potencialmente detectados, caso existam. De acordo com Lisa Kaltenegger, do Harvard-Smithsonian Center of Astrophysics, “se Pandora existisse, poderíamos potencialmente detectá-la e estudar a sua atmosfera na próxima década.”.

Fig.1 – Recriação artística de um gigante gasoso com um satélite natural idêntico a Pandora.

(Crédito: David A. Aguillar, CfA)

Leia o artigo.


E o vencedor é…Encélado! 17/10/2009

Posted by João Lopes in Colonização do Espaço, Habitabilidade Planetária.
add a comment

Um estudo da Universidade de Porto Rico, em Arecibo, fez um estudo relativamente aos corpos mais habitáveis (H) do Sistema Solar, caso a Humanidade tivesse que sair da Terra.

O estudo indica que os corpos com melhor habitabilidade são:

1 – Encélado –  H= 0.5

2, 3 – Marte e Europa – H= 0.3

4 – Titã – H< 0.0001

Habitability_Image_LR_1-580x436In Universetoday.com

enceladus-agu-401x580Imagem de Encélado tirada pela Cassini em 2008.

Crédito: NASA/JPL/Space Science Institute Cassini

Leia o artigo completo.

Missão Kepler e os exo-satélites naturais 05/09/2009

Posted by João Lopes in Colonização do Espaço, Habitabilidade Planetária, Planetas Extra-Solares.
add a comment

A Missão Kepler tem, grosso modo, o objectivo de procurar planetas habitáveis idênticos ao nosso. Mais especificamente, o de explorar a estrutura e diversidade de sistemas planetários, a partir do estudo de um grande número de estrelas. Através desse mesmo estudo, o brilho das estrelas estudadas será analisado, ou seja, o método de detecção será o de Trânsito.

David Kipping, astrónomo da University College London, no Reino Unido, avançou com uma ideia de um método de detectar satélites naturais habitáveis de planetas extra-solares. A equipa de Kipping determinou que satélites naturais extra-solares com 0.2 massas terrestres poderão ser detectadas pelo Kepler.

keplerPPTCrédito: NASA

Através da tecnologia actual, o Kepler poderá procurar planetas idênticos à Terra em cerca de 25 000 estrelas até cerca de 500 anos-luz do Sol, o que corresponderá à análise de milhões de estrelas. Williams et al. (1997) debatem não só a questão dos requisitos necessários para que os satélites naturais extra-solares sejam habitáveis, como os problemas existentes para que a habitabilidade se verifique nos mesmos.

Veja o artigo mais pormenorizadamente e/ou aceda à página da Missão Kepler.