jump to navigation

Reflexões 07/11/2009

Posted by João Lopes in Reflexões.
add a comment

Antes de começar a minha reflexão sobre as afirmações de José Saramago sobre a Bíblia e Igreja Católica, devo deixar claro que não o aprecio do ponto de vista literário, nem muito menos como pessoa. Mas estou 100% com ele relativamente ao que afirma sobre essa instituição. Aliás, estou até 1000% de acordo.

Começarei então fazendo uma pequena alusão ao filme  “Indiana Jones e o Templo Perdido”. Nele, os desgraçados que bebem o sangue/poção do arrepiante culto, entram no “sono negro de Kali”. Eu andei numa espécie de “sono profundo da Igreja Católica” durante 20 anos. A parte interessante foi que comecei a pensar por mim, a analisar as coisas friamente. E então…voilá, acordei! E querem saber qual foi o antídoto? Foi a própria Igreja Católica! Por isso estou-lhe profundamente agradecido.

Penso até que Saramago foi simpático nas suas críticas! Dizem que ele é herege. Porquê?! Porque tem cabecinha para pensar e para não se deixar ir nas cantigas bastante desafinadas dessa instituição? Desse ponto vista, também eu sou herege. E sabem que mais? Gosto muito de ser. Gosto muito do facto de Deus me ter permitido ver isso. Graças a Deus que já não sou Católico. Sou Cristão “Independente”. Acredito na palavra de Cristo e tento segui-la. Ter sido Católico foi um defeito que tinha e que consegui corrigir.

Quanto ao que Saramago afirma sobre a Bíblia, já não estou perfeitamente de acordo. Do meu ponto de vista, a razão assiste-lhe de certa forma, quando afirma que “o Deus da Bíblia não é de fiar”. Na minha opinião, só no que diz respeito ao Antigo Testamento. Isto, porque o meu Deus, o Deus que eu concebo não mata, nem castiga. Aliás, penso até que o Antigo Testamento é um tanto fairy tale…! Julgo que exagera (o que não é incomum nele) nas afirmações de que a Bíblia é um manual de maus costumes. Isso não é, nem acho que o facto de se ler a Bíblia conduza obrigatoriamente à perda de fé.

O que não posso deixar de concordar, é que para se entender a Bíblia é preciso ter um teólogo ao lado.  Mas entender o quê e como? É preciso tentar compreender outros significados nas palavras e textos presentes nos Livros Sagrados? Se a Bíblia foi escrita através de influência divina, quereria Deus deixar a Sua palavra por enigmas ou metáforas, ou ser estritamente directo? O sentido que se procura dar é (quase) sempre de acordo com as ideias das doutrinas Cristãs. Há quem diga que consegue encontrar respostas para a vida pessoal na Bíblia. Gostaria de saber como…! Julgo que essa capacidade virá da leitura do Novo Testamento e não do “conto de fadas”.